Estrela Matilde
Mestrado em Biologia da Conservação/2011-2012
Estudar e viver em Évora é crescer numa outra casa que será nossa para sempre.

Cargo à data do testemunho:

Gestora de Projetos da Reserva Mundial da UNESCO da Ilha do Príncipe

1 - Como foi estudar na Universidade de Évora?

Estudar fora da nossa cidade é sempre uma perspetiva assustadora para jovens recém saídos da escola secundária, mas a Universidade de Évora tem a magia de se tornar rapidamente na nossa nova confortável e familiar casa. O facto de ser uma universidade com turmas pequenas é para mim uma enorme vantagem, permite-nos conhecer e integrar-nos com todos os nossos colegas e permite também que a relação com os professores seja muito mais próxima, o que resulta em oportunidades maiores de aprendizagem, integração profissional e escolhas futuras. Estudar e viver em Évora é crescer numa outra casa que será nossa para sempre. Fazemos novos irmãos, novos tutores, aprendemos, crescemos, ir embora.. ir embora custa tanto como a primeira saída de casa dos pais. Mas tal como a casa dos nossos pais, podemos sempre voltar.

2 - Como descreve o impacto na vida profissional?

A Universidade de Évora não seria o que é sem os profissionais que a representam, e o sucesso da minha vida profissional deve-se em grande parte a essa nata académica que não só são excelentes professores e formadores, como sobretudo são motivadores e nos abrem as portas para um crescimento profissional que não seria possível em universidades de grande escala. O facto de podermos fazer parta das várias equipas e departamentos de investigação enquanto estudantes, podermos colaborar, aprender e sobretudo começar a traçar o nosso futuro desde cedo, torna a experiência académica em Évora a engrenagem necessária para definir o nosso futuro. A disponibilidade e incentivo ao associativismo, a integração dos estudantes da vida da cidade e a valorização cultural e social, ajuda-nos a moldar um perfil profissional, um networking e uma capacidade de gerir e tomar decisões essenciais a qualquer carreira. Desde a minha participação no Conselho de Estudantes de Biologia de Évora, à minha passagem como presidente da Tuna Académica Feminina da Universidade de Évora, passando pelas palestras, workshops, formações e até tradições académicas, tudo isto foi essencial para me definir como a profissional que sou hoje.

3 - Integra algum projeto que pretenda divulgar? Em que consiste?

Hoje sou Gestora de projetos na Reserva da Biosfera da Ilha do Príncipe, pela Fundação Príncipe Trust. Os projetos que temos vindo a desenvolver visam sobretudo o desenvolvimento económico e social da Ilha do Príncipe através da conservação da natureza. Trabalhamos sobretudo para criar o equilíbrio entre o Homem e a Natureza, como definido no Programa MaB da UNESCO, e ter a Ilha do Príncipe como exemplo de desenvolvimento sustentável ao mesmo tempo que conseguimos proteger e conservar esta que é a joia do Golfo da Guiné.

4 - Que mensagem de incentivo pretende deixar a futuros e atuais alunos?

Sobretudo que aproveitem ao máximo a vida na Universidade de Évora e as oportunidades que esta academia traz. Não tenham medo nem vergonha de se dirigirem aos professores e pedirem para fazer parte dos projetos que estão a decorrer, não deixem de passar madrugadas no campo a aprender com os melhores profissionais, e sobretudo não achem que passar o fim-de-semana a ajudar um qualquer professor é perder o fim-de-semana, pois o que vão ganhar, aprender e as portas que vão abrir, serão recompensados no futuro. Este é o momento de definirem o vosso futuro, não tenham receio de explorar todas as portas que existem para depois decidirem-se pela que mais paixão vos trouxer. E claro, a vida académica é um momento único de crescimento social, de integração e comunhão pelas tradições e raízes. Vão levar tudo isto para sempre, por isso aproveitem ao máximo, porque a Universidade de Évora é a melhor alavanca que podiam ter para o vosso futuro. Não tenham medo de lhe dar corda.

Dt. Testemunho: 30.08.2017